Apesar dos apelos da Anistia Internacional, Supercopa da Itália será na Arábia Saudita

reprodução

A Supercopa da Itália será disputada na Arábia Saudita. A Serie A, liga que organiza o Campeonato Italiano, anunciou que o jogo será disputado em Jidá, no dia 16 de janeiro. O jogo será entre Juventus, campeã italiana e da Copa, contra o vice da Copa, Milan. O local do jogo é alvo de protestos da Anistia Internacional, que pedia que os dois clubes boicotassem o evento pelas violações de direitos humanos do país. Recentemente o jornalista Jamal Khashoggi foi morto por ordem do governo saudita na embaixada do país na Turquia.

“Está claro que países como a Arábia Saudita estão bem conscientes do potencial do esporte de sutilmente mudar a imagem do país”, afirmou um porta-voz da Anistia Internacional à ESPN da Europa. “Mesmo antes do assassinato de Jamal Khashoggi, a Arábia Saudita tem um registro verdadeiramente aterrador de direitos humanos. Nós pedimos a esses clubes italianos que pensem duas vezes sobre o sinal que isso envia aos torcedores de esporte em todo o mundo e ativistas que defendem os direitos humanos na Arábia Saudita”.

Os protestos não adiantaram. A Serie A confirmou o jogo na Arábia Saudita, no estádio Rei Abdullah Sports City, em Jidá. A Supercopa, que na maior parte dos países europeus é disputado no início da temporada, na Itália passou a ser no meio. Nos últimos anos, a disputa passou a ser fora do país. A primeira vez que isso aconteceu foi em 1993, quando o jogo foi disputado em Washington, nos Estados Unidos. Quatro vezes o jogo foi disputado na China, outras duas nos Estados Unidos, duas em Doha, no Catar, e uma vez em Tripoli, na Líbia.

A Supercopa não é um torneio muito valorizado e nem sempre foi disputado na Itália. Começou a sua disputa em 1988, com tantas vezes tendo sido disputada fora do país. Acabará sendo usada como um jogo amistoso de luxo, embora seja um jogo oficial que valha taça. Aparentemente, a Serie A pouco se importou com os recentes incidentes da Arábia Saudita, o que deveria ser, sim, uma preocupação.

O que acontece, porém, é que os sauditas estão conseguindo conquistar eventos importantes pelo dinheiro: além do fortalecimento da liga nacional, a Arábia Saudita receberá uma corrida da Fórmula E, uma luta da WWE. O esporte é uma estratégia da Arábia Saudita para se fortalecer, tanto em termos de imagem quanto em termos políticos. Na Fifa, esse é um processo constante que já explicamos por aqui. Há uma disputa regional local com o Catar que envolve inclusive a Copa 2022. Portanto, é provável que vejamos mais ações esportivas da Arábia Saudita em breve.

Acesse e leia nossos “Relatório Anual da Discriminação Racial no Futebol” 201420152016, e 2017 com os casos de preconceito e discriminação no esporte brasileiro aqui

Fonte: Trivela

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *