Morre ex-goleiro Jairo, o Pantera Negra, ídolo do Corinthians e Coritiba

Jairo lutava contra um câncer e desenvolveu um quadro de pneumonia — Foto: Divulgação/Coritiba

Morreu em Curitiba, nesta quarta-feira, o ex-goleiro Jairo Nascimento, 72 anos, que foi ídolo de Coritiba e Corinthians. O Pantera Negra lutava contra um câncer no rim. Ele será velado da Igreja do Evangelho Quadrangular, no bairro Água Verde, à partir das 21h. O enterro está previsto para quinta-feira, às 15 horas, no Cemitério Vertical, em Curitiba.

Em nota, o Hospital Erasto Gaertner, de Curitiba, informou que Jairo estava internado desde o dia 23 de janeiro e sua morte ocorreu em decorrência do câncer.

Jairo vinha se tratando desde o fim do ano passado. Em razão do tipo de tratamento, ele precisava tomar medicamentos com custo diário de R$ 300, que obrigou a família do goleiro a lançar a campanha “Defenda o Jairo”, que sensibilizou jogadores como Casagrande e Alex, além do Corinthians, que passou a enviar os medicamentos para o tratamento.

           Leia também: “A interminável luta da Pantera contra o racismo”

Jairo é o jogador que mais vestiu a camisa do Coritiba, com 410 partidas nas décadas de 1970 e 1980. No Coxa, ele conquistou seis campeonatos Paranaense, além do Torneio do Povo, em 1973, e o Brasileiro de 1985. Além disso, o ídolo também é o recordista em minutos sem tomar gol – foram 1.132 minutos com a camisa do Corinthians.

Jairo do Nascimento (à esquerda) e Rafael Cammarota, no jogo entre Bangu e Coritiba, em 1985: título Brasileiro do Coritiba — Foto: Estadão Conteúdo

No Corinthians, Jairo fez parte do histórico time campeão paulista em 1977, encerrando tabu de quase 23 anos sem títulos. Ele jogou a segunda partida da final contra a Ponte Preta, em derrota por 2 a 1. Em 1979, foi titular absoluto na nova conquista, de novo diante da Ponte. Fez 190 jogos no Timão, sofrendo 146 gols. Jairo também atuou pelo Náutico, Caxias-SC, Fluminense e Seleção Brasileira.

O Coritiba e o Corinthians postaram uma suas redes sociais uma homenagem a Jairo relembrando os seus feitos pelo clube. O Paraná Clube também prestou homenagens. O ex-jogador Alex publicou uma nota sobre sua relação dentro do Coritiba a “Muralha de Ébano”, como era conhecido.

Acesse e leia nossos “Relatório Anual da Discriminação Racial no Futebol” 201420152016, e 2017 com os casos de preconceito e discriminação no esporte brasileiro aqui

Fonte: GloboEsporte

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *