Treinadora assistente conquista espaço em time de futebol masculino na Síria

No campo de futebol, Maha Jannoud passa orientações para os jogadores como qualquer outro auxiliar técnico, mas com uma diferença: ela é uma mulher em um mundo que tem sido em grande parte dominado por homens.

Maha, de 32 anos, que já jogou pela seleção feminina da Síria, acredita ser a primeira mulher no Oriente Médio a trabalhar como assistente em um time masculino profissional.

Maha Jannoud atua como auxiliar técnico do Al-Muhafaza, da Síria Foto: Omar Sanadiki/Reuters

Vestindo um conjunto esportivo, com o cabelo preso em um rabo de cavalo, ela lida muito bem com o cargo de assistente técnica em um time em Damasco.

“Quando a pessoa transmitindo a mensagem do treinamento está confiante na sua informação e tem um carisma especial e liderança no campo, não há nenhuma diferença entre um homem e uma mulher”, disse durante intervalo do treino.

Maha pode ter tido maior facilidade para conquistar a aprovação dos jogadores já que costumava jogar pelo mesmo clube, o al-Muhafaza, no time feminino, onde começou a treinar depois que uma lesão encerrou sua carreira como jogadora.

“No início foi um pouco difícil”, disse o jogador Amjad Katkout sobre ter uma técnica mulher. “Mas depois nós nos acostumamos. Ela se tornou como uma irmã ou uma amiga. É normal”.

Bons resultados também podem ajudar a consolidar a posição de Maha, à medida que o al-Muhafaza tenta subir da segunda para a primeira divisão na Síria.

Ao longo dessa temporada, a equipe venceu oito das dez partidas que disputou e empatou as outras duas.

Acesse e leia nossos “Relatório Anual da Discriminação Racial no Futebol” 201420152016, e 2017 com os casos de preconceito e discriminação no esporte brasileiro aqui.

Fonte: Estadão

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *