Vasco dá lição de solidariedade na Copinha

Vasco tenta seu segundo título da Copinha Foto: Divulgação

Vasco e Carajás dividem o mesmo hotel em Taubaté, onde integram o Grupo 27 da Copa São Paulo de Juniores. A hospedagem e o sonho de serem bem sucedidos no futebol eram as únicas coisas em comum entre os garotos do time carioca e os meninos da equipe paraense. Mas o convívio das delegações fez nascer uma amizade e a solidariedade vascaína tem diminuído um pouco o contraste entre as duas equipes.

O empréstimo de um par de chuteiras a Juninho, do Carajás, para que o principal jogador da equipe pudesse atuar no empate com o Taubaté, segunda-feira passada, foi apenas um dos auxílios que o Vasco prestou ao adversário na Copinha. Os paraenses foram a São Paulo com uma delegação enxuta e com material de trabalho aquém do necessário. Para treinar, já recorreram a bolas emprestadas pelo Vasco.

Eduardo Húngaro, coordenador técnico do sub-20 de São Januário, admite que é impossível comparar as condições de trabalho à disposição dos jogadores das duas equipes. Além de bolas e chuteiras, médicos e fisioterapeutas do Vasco já atenderam atletas do Carajás. Segundo Húngaro, não há contrapartida material para o clube de São Januário.

– É quase uma obrigação fazer o que fazemos. Preferíamos que não fosse divulgado, mas acabou acontecendo – afirmou.

Para a comissão técnica e os dirigentes do Vasco, a ajuda tem sido a chance de passar aos jogadores ensinamentos que extrapolam os trabalhos com bola. Talvez essa seja a melhor contrapartida que o clube possa ter.

– Quando trabalhamos com a formação de jogadores, não podemos desperdiçar as oportunidades para que os atletas vejam os bons exemplos, mais do que com as palavras, com as nossas atitudes – afirmou Eduardo Hungaro.

Na quarta-feira, Vasco e Carajás entrarão em campo pela última rodada da fase de grupos da Copinha e mais uma vez os cariocas poderão ajudar os paraenses. O time da Colina enfrentará o Taubaté enquanto que a equipe do Pará terá pela frente o Tubarão e se ambos vencerem, dependendo dos placares, os dois seguirão para a fase seguinte. Quando se enfrentaram, pela primeira rodada, o Vasco goleou o adversário amigo por 4 a 1.

Acesse e leia nossos “Relatório Anual da Discriminação Racial no Futebol” 201420152016, e 2017 com os casos de preconceito e discriminação no esporte brasileiro aqui.

Fonte: O Globo

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *